Um poema na Antologia Poética Contemporâneas

Sem título.jpg
Uma Antologia editada por João Gomes.
Anúncios

Poemas na Mallamargens – revista de poesia e arte contemporânea.

Você me dá sua Palavra? Macapá, Rede Funarte, por Elida Tessler  em: http://elidatessler.com/voce_me_da_a_sua_palavra/IMG01.htm

Você me dá sua Palavra? Macapá, Rede Funarte, por Elida Tessler
em: http://elidatessler.com/voce_me_da_a_sua_palavra/IMG01.htm

Acesse: http://www.mallarmargens.com/2015/07/minha-lingua-sem-margens-poemas-de.html

Revista SAMIZDAT 41

Poema “Infiltração” na Revista SAMIZDAT 41, pág 63. Leia a revista:

ReScribd – http://www.scribd.com/doc/235439727/Samizdat-41-Virginia-Woolf
Calamèo – http://en.calameo.com/books/0000022381987bc8cdac8

RECOMENDAÇÃO DE LEITURA
A Girl is a Half-formed Thing, de Eimear McBride, a herdeira de Joyce e Beckett, Henry Alfred Bugalho

AUTOR EM LÍNGUA PORTUGUESA
A Solidão, António Feliciano de Castilho
Terceiro Serão do Casal, António Feliciano de Castilho
A Romaria, António Feliciano de Castilho
Os Treze Anos, António Feliciano de Castilho

CONTO
O Anjo Purificador, Joaquim Bispo
Caminho pelas ruas…, Rafael F. Carvalho
La Bobera, Emerson Braga
Pitanga, Yvisson Gomes dos Santos
virgem mulher, Vivian de Moraes
Réquiem, Tatiana Alves
To Selfie or Not to Selfie, Julia Antuerpem
Filogênesis, Marcelo Soriano
Um Corte para Hollywood, Bruno Scuissiatto
Acalanto de Passagem, Cinthia Kriemler
Olhares Paralelos, Mario Filipe Cavalcanti
Florentino Barbeiro, Maria de Fátima Santos

TRADUÇÃO
Uma Casa Assombrada, Virginia Woolf
Segunda ou Terça-feira, Virginia Woolf
Azul e Verde, Virginia Woolf
A Primeira Vez, Roberto Abad

CRÔNICA
Odeio Futebol, Henry Alfred Bugalho
Entrando numa fria, Mario Luis Grangeia
Ama, do verbo Amar, Ana Paula Costa
Um Amor Possível, Cecília Maria de Luca

POESIA
Inexplicável, Edweine Loureiro
Porto, Leonardo Alves
Permanência Perene em Estado de Ser-em-si, Igor Melo de Sousa
Infiltração, Priscila Rôde
Monogamia Nômade, Maria Giulia Pinheiro
Floriano, Daniela Zappi
pvc, xx, xy, Volmar Camargo Junior
Nodo, Ju Blasina
Luz na Rua, André Foltran

*

que me perdoe
esse átimo de saudade
que insiste em tudo
mais perto

minhas distâncias
são insolúveis

e sobrevivem em mim
fundas
cheias de importância.

Priscila Rôde, in: Para que fiques.

blue.

misturado às nuvens
um bom dia
para esbarrar nas coisas
reconfigurar as coisas
cheirar todas as coisas
tangê-las
descobrir o hálito
deixado na cômoda
sobre o livro
a marca do copo vazio –
minha sede morta

entre as pernas:
tuas mãos sujas de tinta.

Priscila Rôde

%d blogueiros gostam disto: