dois

por Priscila Rôde

penso fendas e iguarias
vozes e pálpebras maduras
que não escondem nada

o coração torto, zênite
inalterado tecido
admitindo mãos e águas

escorro dentro
o sangue ressentido
de todas as importâncias:

finco o corpo na porta
mastigo mastigo
teu nome.

Priscila Rôde

Anúncios