§

por Priscila Rôde

céu que não se cumpre
silente curto fresco
alto tempo debulhado
entre semitons calos e pedras
alguma fome a macerar
o amor
seus olhos quebrados e enxutos
sobre a mesma cicatriz
a mesma hora seca doente
um peito frio desfiado
um oco ondulado um nada
meu corpo –
bicho pouco tentando salvar
o fluxo das sombras.

Priscila Rôde

Anúncios