§

por Priscila Rôde

eu o mapa um salto
coluna pontiaguda
que serpeia à noite
acima dos telhados
no chão, um útero
que apara suicídios
vários fins desconheço
o meio o fio a nervura
de toda pausa

só cuido
para que meus olhos
não ressequem.

Priscila Rôde

Anúncios