poemance

por Priscila Rôde

um só alado
se pondo, se pondo
meu bem

desta tarde
não quero nada mais
que um pulo
para escoriar os ombros
despertar o chão
coser à pele
o cheiro
o peso do mundo

teu olhar circunscrito
à sorte
minha, só minha:

um céu sem efeitos.

Priscila Rôde

Anúncios