Infiltração

denso
meu corpo sintetiza
o absurdo
avoluma-se

um filete de mundo
chora, irrompe
o centro das mãos
desalinha rio
parapeito, beco
encontro
estrada adentro:

aceno
pra desaguar a superfície.

Priscila Rôde

poema publicado nas revistas Capitolina Cultural e LiteraturaBr.

Anúncios

3 comentários em “Infiltração

  1. A leveza nos passos serve para espremer o denso de nossas inundações, tão transbordadas pelas dores varridas pra debaixo do coração. Quase esquecemos, mas eles perduram tanto e dolosamente, que a represa do peito não suporta. Um gesto traz a salvação.

    Beijo Pri!

    Te gosto… 😉

    Curtir

Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s