Sob

Diferente. E o pensamento repete o mesmo refrão. Tiquetaquea o relógio, com alturas. Titubeia meu peito. Trago as mãos no peito. Levo o pranto ao peito. Aspiro vermelhos. Derramo-os logo depois, para libertar a dor e o gozo. Viro e reviro-me. Tateio no escuro – você, que não é. Os lençóis que escorrem dos meus olhos, caem e confundem-se com os teus – labirintos ao pé da cama, desistidos do frio, pingados de ternura. Meu corpo instaura-se na noite. Meu corpo pactua com a noite. Levanto-me cingida. Não sei se permaneço dentro ou fora ou se espero pela morte antes de abrir a porta. Sinto que falta pouco. Sempre sinto que falta pouco se não te sinto. Estou a ponto de, e você não me prova o contrário. Abro a porta do quarto e a noite arrasta a casa. Procuro um poema. Quero um poema para te amar em quatro linhas e jogá-lo fora logo em seguida – eu, que te faço tão mal feito. À mesa, meu corpo desmaia. Ausento-me na respiração. Prendo a circulação com as pernas, seguro o ventre, sinto que falta pouco. Sempre falta pouco se você falta. As folhas acompanham meu ritmo, caem róseas sobre o chão, vazias de mim. E ali, sob, sinto-me coberta. Somos cúmplices: eu e as folhas, você que não veio. A porta que não bate. O tempo disputando com o tempo. O poema desce, trincado, umedecendo as janelas. Atrás delas, você me desobriga, me livra da tua cidade. Diferente. E o silêncio repete o mesmo refrão. Retiro as pilhas do relógio. Coloco certezas no peito. Reaproximo as mãos do peito. Levo a morte ao peito. Te reconheço. Dispenso vermelhos. Não te derramo mais. Não estou mais. Não morro mais. Não te amo, mas, te escrevo com o coração aberto.

Priscila Rôde

Anúncios

About the Author

Posted by

Priscila Rôde nasceu em Salvador/BA em 02 de maio de 1991. Escreve no blog Mar íntimo (priscilarodec.wordpress.com). É Autora do livro “Para que fiques”, publicado pela Editora Penalux em 2012. Tem poemas publicados na revista Mallamargens, Samizdat, revista Capitolina Cutural, revista Cultural Novitas nº 11, LiteraturaBr, Jornal Relevo e algumas revistas digitais. Participou do E-book de frases "Apenas o necessário 2" (Editora Novitas) e da organização da antologia “Crônicas de um amor crônico”, publicada pela Editora Penalux/2015.

Categorias:

Prosas

Add a Response

Your name, email address, and comment are required. We will not publish your email.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

The following HTML tags can be used in the comment field: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <pre> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: