Dentro dos olhos

por Priscila Rôde

janela ciliada, úmida, cerrada
me devolve para dentro
do sono e do encanto

dentro dos teus olhos é sempre noite

não importa se acima deles
enrugam-se os corpos
recuam-se os tempos ou

quão frágil é a penumbra
do sonho que me lembra,
não importa:

é lá que amanheço.

Priscila Rôde

Anúncios